PAISAGISMO

O verão é ótimo para as plantas, elas preferem o calor, mas crescem rápido demais, assim como as ervas daninhas, portanto dependendo do tamanho, manter um jardim impecável é uma tarefa quase que diária, pelo menos aqui no nosso país tropical.

Uma ótima inspiração são os jardins criados pela dupla de marido e mulher Eric e Silvina Blasen, que tem como lema criar projetos únicos e exclusivos que valorizem o terreno e que estejam em harmonia com a vegetação local.Link

Imagens de Blasen Gardens

FIM DE SEMANA COM INSPIRAÇÕES NATALINAS

Guirlandas

Junto com o pinheiro, as guirlandas são o símbolo do Natal, dão as boas vindas aos que chegam e remontam a séculos atrás, quando povos que habitavam regiões onde o inverno era muito rigoroso, mantinham folhas verdes como símbolo de preservação da vida. Estas folhas eram arranjadas em forma de círculo representando o movimento solar, aguardando um novo ciclo, quando novas folhas nasceriam.

                       

Via Pottery Barn, Crate and Barrel, The White Company e Pinterest Link

Plantas para Jardins Verticais

Os jardins verticais apresentam algumas adversidades que um jardim tradicional não tem. Isso acaba restringindo um pouco o número de espécies ornamentais disponíveis para compor este tipo de jardim. Assim, montamos um artigo com dicas para auxiliar no planejamento e escolha das espécies que vão compor seu jardim vertical. Aproveite!

Jardim para local semi-sombreado, composto principalmente de epífitasFoto de Bosc d'Anjou

Jardim para local semi-sombreado, composto principalmente de epífitas

Foto de Bosc d’Anjou

Em primeiro lugar, precisamos saber que um jardim vertical típico não comporta plantas com grandes raízes ou com raízes agressivas. Pois estas além de não terem espaço para crescer, ainda podem acabar danificando a estrutura de suporte. Outro motivo para se evitar grandes raízes, incluindo árvores e arbustos é o peso demasiado da planta e do substrato correspondente sobre a estrutura. Mas, nada impede que se crie um jardim com árvores e arbustos, a questão é que esta escolha deve ser feita antes mesmo da construção do prédio, para que se calcule adequadamente a carga a mais que essas plantas vão adicionar.

Outro fator que deve ser levado em consideração é a incidência de ventos e luz solar direta. Em jardins verticais localizados em fachadas de prédios por exemplo, o sol e os ventos intensos podem ser impeditivos para muitas espécies. Assim, deve-se evitar plantas com grande necessidade de água, como também plantas com folhagem macia e delicada. No entanto, jardins verticais protegidos e em locais semi-sombreados permitem espécies que não se adaptariam às condições anteriores.

As plantas também devem preferencialmente ser perenes. Do contrário, o jardim demandará manutenção constante, o que é contrário aos princípios de sustentabilidade que andam junto com os jardins verticais. No entanto, há uma situação em especial que pede jardins verticais com plantas anuais, aqueles destinados à cultura de plantas hortícolas, sendo estas, sem sua grande maioria plantas anuais. Nestes jardins há que se cuidar que às plantas estejam ao alcance das mãos.

Para obtermos um jardim vertical bem denso e fechado, de forma que a estrutura não apareça, deve-se escolher plantas pendentes a semi-pendentes, ou com folhagem prostrada a arqueada. Sempre tendo em mente espécies bem cheias, com ramos ou folhas que saem da base.

De forma geral, é uma boa saída escolher plantas epífitas ou rupícolas para jardins verticais. Estas plantas, geralmente se adaptam muito bem às condições de pouco substrato, ventos e outras adversidades. Outras opções bem interessantes são forrações rústicas, que muitas vezes são úteis em acrescentar um colorido diferente ao jardim. Lembre-se que uma boa parte do custo de um jardim vertical pode vir da aquisição das plantas, que por serem perenes, tendem a ser um pouco mais caras. Não será nada bom ter que substituir uma parte delas após um tempo de implantação, principalmente se o jardim estiver situado em local de difícil acesso.

Leve sempre em consideração, na escolha das plantas, à disponibilidade de água e a frequência de irrigação possível. Assim não corre o risco de plantar samambaias, onde possivelmente só podem viver cactos.Link

Abaixo, algumas sugestões de plantas para jardins verticais:

Paisagismo Sustentável – Recuperação de Ambientes

O desenvolvimento de locais edificáveis em geral prejudica a ecologia local, plantas nativas e populações animais regionais. Já as áreas preservadas fornecem importantes serviços naturais, como um controle da água da chuva mais eficiente e natural. O dano ecológico pode ser minimizado ao se restaurar a vegetação e outros itens ecológicos apropriados, o que fornece um habitat mais adequado para a fauna local.

pássaros no ninho

Uma simples palmeira com pecíolos remanescente pode servir como local para nidificação. Foto deKristin Klein
Esses outros itens são elementos naturais além da vegetação, que ajudam a manter ou restaurar a integridade ecológica de um local. Eles podem ser corpos de água, pedras expostas, troncos, piso de terra ou outros itens que fazem parte do paisagismo local e que ajudam a enriquecer o ambiente e desta forma favorecem a recuperação da fauna.
Estabelecer limites restritos à construção reduz o dano e ajuda a preservar a vida selvagem local e corredores de migração. Para projetos de escolas, por exemplo, conectar o edifício escolar à paisagem histórica natural fornece uma grande oportunidade para os alunos de aprendizado fora da sala de aula.

Telhado verde da Islandia

A vegetação nativa ou adaptada às condições locais requer menos manutenção do que plantas introduzidas e reduz o custo ao longo do tempo, minimizando a necessidade de pesticidas, fertilizantes e irrigação. Em muitos casos, árvores e plantas trazidas de outras regiões são mais caras e podem não sobreviver ao transplante. Árvores adicionais para substituir as perdidas, e outros itens de paisagismo, bem como a remediação do solo e da água, podem aumentar muito os custos iniciais. Para distribuir esses custos ao longo do tempo, pode ser mais vantajoso implantar a restauração em fases. O plantio localizado em áreas estratégicas pode sombrear as paredes, lajes e telhados de um edifício e do seu entorno, o que traz uma significativa redução no uso do ar condicionado, reduzindo consequentemente os custos com energia. Se forem usados telhados verdes como parte do projeto, os custos podem cair ainda mais devido às propriedades de absorção de calor destes telhados.

A proteção ou recuperação do habitat natural fornece também áreas abertas permeáveis, o que minimiza o escoamento excessivo de água da chuva para o sistema de esgoto, além de minimizar também o efeito ilha de calor, causado pelas superfícies impermeáveis. A ilha de calor acontece quando existe muita área impermeável exposta ao tempo, que reflete o calor no ambiente, elevando a temperatura em ate 8ºC. Isso acontece principalmente em áreas urbanas centrais de cidades grandes, onde há pouco verde, mas muitas áreas pavimentadas e alta densidade de prédios, carros e pessoas. Como o ambiente externo aquece, o equipamento de ar condicionado precisa trabalhar sobrecarregado para compensar esse calor. Se o edifício tiver uma solução como teto verde, esse efeito fica sensivelmente minimizado, colaborando para a economia de energia e o bem estar dos ocupantes.
Para implantar essas soluções, precisamos preservar e valorizar elementos nativos, como ecossistemas, corpos aquáticos, condições do solo, árvores, entre outras vegetações. Identificar oportunidades de melhoria no local que possam aumentar a área de plantas nativas ou adaptadas e outros itens ecológicos já descritos.
O uso da monocultura não contribui para a recuperação ambiental. A recuperação e manutenção da paisagem podem incluir a remoção de áreas pavimentadas desnecessárias e substituí-las por áreas permeáveis ou naturais, com áreas de plantas rasteiras, como gramados e forrações, combinadas com outras plantas para promover a biodiversidade.
Para áreas urbanas, com reduzidas oportunidades de paisagismo, deve-se considerar a instalação de jardins verticais e de telhados verdes, que servem também como praça e local para fumantes.

Telhado Verde da Prefeitura de Chicago. Foto de  Tony the Tiger