Monte um vaso de ervas

É muito fácil montar uma jardineira de ervas aromáticas e ter sempre à mão
temperos fresquinhos e deliciosas ervas para chá. Vamos lá! Você vai precisar de:

· 1 vaso grande ou, de preferência, uma jardineira (as de plástico são mais leves);
· seixos rolados;
· terra;
· húmus de minhoca ou torta de mamona;
· mudas de ervas de boa procedência

1. Forre o fundo da jardineira com os seixos rolados, para garantir uma boa drenagem. 2. Coloque a terra já misturada com o húmus ou a torta de mamona. 3. Faça algumas covas na terra, retire as mudas dos sacos plásticos e encaixe-as nas covas.
4. Complete a jardineira com o restante da terra, cobrindo as raízes e apertando levemente com as mãos.
5. Para completar, regue bem sem encharcar.
Cuidados:
· As ervas precisam de luz solar, pelo menos algumas horas por dia. Sem isso, é praticamente impossível cultivá-las.
· Mantenha regas regulares, mas nunca encharque a terra.
· Retire folhas velhas, amareladas e secas e verifique periodicamente se não há ataques de pragas. Nesses casos, evite produtos químicos e use apenas inseticidas naturais (calda de fumo, calda de sabão, etc.), pois as ervas serão utilizadas como tempero e no preparo de chás.
· Adube a cada 3 meses, com húmus de minhoca e torta de mamona.
· Na hora se escolher as ervas, procure selecioná-las segundo as exigências de luminosidade. Lembre-se que elas estarão no mesmo vaso.

Para facilitar, aqui vão algumas sugestões:

Ervas para sol pleno:
 Cerefólio (Anthriscus cerefolium), estragão (Artemisia dracunculus), cebolinha (Allium schoenoprasum), alecrim (Rosmarinus officinalis), orégano (Origanum vulgare), manjerona (Majorana hortensis), hortelã (Mentha sp.), sálvia (Salvia officinalis), melissa (Melissa officinalis), tomilho (Thymus vulgaris), salsa (Petroselinum sativum).

Ervas para meia sombra:
 Anis (Pimpinella anisum), poejo (Mentha pulegium), manjericão (Ocimum basilicum)

jardimdeflores.com.br
Anúncios

Vasos Incomuns

O barco virou uma interessante jardineira com 2 andares.Novo destino para as peças de Lego e brinquedos descartados – uma idéia para as crianças começarem a se interessar por jardinagem.
 

Um destino nobre para os filtros de barro que foram substituídos pelos modelos de torneira.

Bota velha – “casinha” ideal para suculentas.
Caixas de metal com tampa.
Soutien meia-taça ou seria meio-vaso?

coresdacasa.com.br

Plantas do Outono

Pesquisa efetuada no ” Calendário do Jardim” do São Paulo Garden Club.
Criação – Maria Thereza Cintra – Suzanne Seymour Burt
Pesquisa e Redação – Suzanne Seymour Burt
Com o término do verão, é hora de pensar nas plantas de outono; de por ordem em seu jardim, e deixar tão bonito quanto às outras estações. São muitas as flores que surgem nesta época, com belas floradas e muito coloridas;

Azaleia





Cuidados Gerais no Outono
– Faça podas de limpeza;
– Elimine flores e galhos secos; também os quebrados ou danificados;
– Reforce os tutores das trepadeiras;
– Diminua regas e adubações, mas não daquelas que florescem no inverno;
– Mantenha a terra dos vasos e canteiros, afofadas.

Bulbosas

Quando as folhas dos tinhorões, que entram agora em dormência,
secarem totalmente, interrompa as regas e conserve o bulbo
na terra seca do vaso, em local protegido,
até a chegada da primavera, quando ele brotará novamente.


Roseiras em vasos

No mês de Maio, plante mudas em vasos, usando uma mistura feita com:
– 10 kg de terra comum de jardim
– 10 kg de húmus de minhoca
– 100 gr de farinha de osso e,
– 50 gr de NPK 10-10-10.

Plantas dentro de casa

– Regue sem encharcar;
– Mantenha a umidade do ar;
– Não descuide das adubações;
– Combata pragas e doenças;
– Ofereça iluminação e ventilação;
– Elimine regularmente folhas, flores e galhos secos;
– Afofe a terra para oxigenar as raízes.

Cuidados com gramados

Em um dia nublado, faça a primeira aplicação anual de 40gr de
NPK 10-10-10 por m² de gramado.
Regue a seguir.

Cuidados com as Orquídeas

– Diminua as regas;
– Troque o adubo balanceado por outro, rico em fósforo;
– Com o início do período de dormência, evite replantios;
– Aumente a luz para mais de 50%.
Entre muitas, algumas plantas que estarão em flor no outono

Salvia

Camelia

Angelica

Aster

Paineira

Verbenas

Geranios

Bico-de-Papagaio

Flor-de-Maio

Gérberas

Brinco-de-Princesa

Begônias
Semeie no jardim até agosto

Entre outras anuais:
– Sempre-viva
– Amor-perfeito
– Crisântemo
– Cravina
– Ervilha-de-cheiro
– Margarida
– Papoula
– Petunia
– Goivo
– Agerato
Aproveite as temperaturas mais amenas e cuide de seu jardim. miriandecor.blogspot


Vasos na Decoração

“Quase como jardins portáteis, os vasos frequentam varandas, coberturas, lajes, salas bem iluminadas e até os próprios jardins, onde se integram e enriquecem o paisagismo.”
Roberto Araújo
Algumas ideias de como usar vasos para enriquecer sua decoração!

Na varanda, ou no jardim.

Lírios-da-paz, uma ótima opção para área interna.
Enfeitando os degraus de uma escada.
O efeito é bonito, mas sou contra qualquer coisa que fira o caule de uma árvore. Pode-se colocar no chão, que o efeito é lindo!
Como cerca viva, ou até mesmo para dividir ambientes.
Sob uma escada.
Jardim interno.
Detalhes que fazem diferença.
Latinhas pintadas.
Novamente em escadas.

Efeito decorativo.

Tudo organizado.

Qualquer coisa serve, até mesmo uma bacia.

Como moldura.

Havia flores no jardim dos dinossauros?

 Cycas
Um estegossauro que fosse transportado por uma máquina do tempo até os dias atuais estranharia principalmente a existência de grama e de flores, já que não havia nada parecido na paisagem jurássica, entre 208 e 144 milhões de anos atrás. Mas também encontraria coisas familiares. “Pelos fósseis encontrados não dá para saber se havia plantas exatamente iguais às atuais, mas certamente existiam algumas dos mesmos grupos”, explica o botânico José Rubens Pirani, da Universidade de São Paulo.
As mais comuns naquele período eram as cicadáceas (como a Cyca, por exemplo), arbustos e árvores parecidos com palmeiras, que se espalhavam por praticamente todas as regiões. Por serem bem adaptadas, deixaram descendentes na Índia, na África e na Austrália.
E por que as cicadáceas eram bem adaptadas? Primeiro porque suas folhas não serviam de comida: duras e espinhentas, as folhas não eram apreciadas nem pelos animais nem pelos insetos – e isso garantia que a planta conseguisse crescer e produzir sementes. Depois, porque a resistência e dureza das folhas e tronco permitiam que a planta suportasse bem as grandes variações climáticas, especialmente a intensidade dos raios solares. Além disso, como produziam muitas sementes, mesmo que alguns besouros devorassem um bocado delas, ainda sobrava muito para garantir a sua reprodução.
Junto com as cicadáceas havia ainda outras plantas semelhantes às de hoje. É o caso das ancestrais da Gingko biloba, árvore cujas folhas são medicinais, e vários tipos de samambaias.
Fonte de pesquisa: Revista Superinteressante