A ENTRADA …

Restaurar UMA Rodovia de asfalto

Obter hum gramado Saudável

Substitua Walkways Velho

Enfeitar a pintura

Revive hum gramado com New Sod

Atualizam Materiais

Adicionar afiação UO hum colorido Stain

Adicionar Container Plantas

Instale Canteiros UO Plantações

Plantar Árvores

Substitua Exterior Hardware

Atualizam a porta da garagem

Adicionar UO Restaurar Guarnição UO Siding

Instale UMA nova Tempestade Porta
Link

Anúncios

Jardim vertical com poderes sobrenaturais de cura

Nós discutimos antes que os benefícios de plantas e  jardins verticais , como eles podem não só embelezar espaços interiores e exteriores, mas podem ajudar a diminuir o consumo de energia, fornecendo isolamento, melhorar a qualidade do ar interior , até mesmo fornecer um lugar para cultivar alimentos quando espaço é escasso.
Para a fachada da loja de design São Paulo, Firma Casa, os irmãos projetou uma parede verde comSansevieria trifasciata  (vulgarmente conhecida como planta de cobra), uma homenagem à cultura popular brasileira e uma planta usada em rituais religiosos Africano-brasileiras para a sua proteção sobrenatural e poderes de cura.
Forma segue a função definitivamente neste esquema design. Colaborando com São Paulo projetistas  estúdio SuperLimão , eles colocaram 9.000 mudas em 3.500 vasos de alumínio em forma de origami que pendem de uma malha de vergalhões, o fluxo de água dirigido a partir de um vaso para o outro através de um sistema integrado de drenagem que leva transbordar para o chão.
parede viva contrasta com elogios e também a fachada de aço forjado industrial. No interior, os fluxos de luz natural através de grandes aberturas do edifício, enquanto uma grade de trilhos expostos elétrica permite o controle de iluminação acessível e fácil.
Há infinita flexibilidade no projeto, como estruturas metálicas expostas e dutos de ar condicionado permitir que os donos de lojas para pendurar e mover-se facilmente exibição de obras usando ímãs industriais, enquanto pallet prateleiras suporta peças de tamanhos variados.
O primeiro empreendedor a descobrir e mostrar o Campana Brothers, proprietário da Firma Casa, Sonia Diniz Bernardini, valoriza a criatividade e inovação, acima de tudo e tem sido um pioneiro em reconhecer e introduzir talento emergente.
Fotos do estúdio SuperLimão . Gorjeta de chapéu para Yatzer e ArchDaily.

Sempre cabe um jardim

Reportagem de Marisa Vieira da Costa
Produção de Maria Regina Notolini
Fotos de Zeca Wittner
Falta de espaço não serve de desculpa: poucos metros quadrados são suficientes para criar um jardim e mudar o astral de uma casa. Paisagistas fazem milagres com o mínimo e garantem que sempre há uma solução para compor um cenário verde. “É só botar a imaginação para funcionar”, afirma a paisagista Luciene Vila Wertheim.
A partir daí vale tudo – quintal, varanda, sacadinha, canto, corredor perdido, parede, laje. “E não existem desculpas”, insiste Luciene. “Se o tanque e a máquina de lavar estragam o visual, é só isolar a lavanderia com uma cerca viva ou um painel de treliça com vasinhos, por exemplo. Se não der para ter flores e espécies exuberantes, contente-se com vasos de flores e folhagens bem distribuídos sobre uma mesa bonita e um canteiro de temperos.”

O mercado está abarrotado de peças e materiais usados para se montar pequenos jardins. Além dos entrepostos e grandes revendedores, em qualquer bairro é possível encontrar lojas que vendem vasos, suportes, painéis para compor quadros-vivos, pedras, pedriscos, cascas de árvore, terra, adubos, além de um sem número de objetos de decoração e, é claro, uma variedade infinita de plantas. “Como São Paulo é uma cidade de clima subtropical, muitas, mas muitas espécies mesmo, se dão bem aqui”, diz ela.Numa atitude quase desafiadora, a paisagista colocou um jardim com fonte e tudo no banheiro da suíte de uma casa na Aclimação. O box, grande, se integra, por meio de porta de vidro de correr a um pequeno espaço com pérgola, fonte, costelas-de-Adão, marantas, pacovás e forração de cedrinho e tostão. Na entrada da mesma casa, ela aproveitou uma lateral de 8 m² para fazer um jardinzinho separado do hall por um pano de vidro. Na parede, para dar profundidade, foi pintado um trompe d’oeil suave de um jardim italiano que se junta com a fonte, os ciprestes, o maciço de costelas-de-Adão, as camélias, bromélias, a forração de marantas e pedras de rio.

Canto do jardim projetado por Odilon Claro, com trepadeira, vaso, vasinhos e quadro-vivo com ripsalis, columeia, orquídeas, violeta e dinheiro-em-penca
Usar frutíferas é outra boa opção para pequenos espaços. E foi isso que fez o paisagista Odilon Claro quando, há dois anos, começou a transformar o quintal vazio de um sobrado nos Jardins num lugar agradável. Pintou as paredes de um tom de rosa fechado para ganhar um ar toscano, colocou pisadas de concreto entremeadas de seixos no chão e foi espalhando espécies. Nos fundos, direto na terra, plantou jabuticabeira, murta, íris e clerodendro. Em vasos, entre outras, romã, para atrair passarinhos. Pôs floreira com thumbergia erecta (que dá uma flor roxa com miolo amarelo) ao longo de um corredor e, junto à pérgola, o pé de jasmim sobe, se entrelaça pela madeira e chega à janela de uma edícula. Na parede, o quadro vivo de fibra de coco abriga ripsális, columeia, orquídeas, violeta e dinheiro-em-penca.

Detalhe do jardim dentro de um banheiro, projeto da paisagista Luciene Vila Wertheim. Entre os degraus de uma fonte, costelas-de-adão e pacovás; como forração, cedrinho e tostão. À direita,
Odilon diz que jardins pequenos devem ser muito bem projetados para não atrapalhar a circulação e que a escolha das espécies é muito importante. Por isso, Cristina Araújo pesquisou muito ao ser contratada para projetar uma cobertura no Morumbi. Como era preciso garantir a segurança das crianças, a paisagista cercou toda a área com treliças de ipê em forma de módulos. “Aí pensei em plantas que não fossem perigosas (as venenosas e as que têm espinhos), de fácil manutenção e cujas raízes não comprometessem o sistema de escoamento de água do prédio” diz Cristina. Próximo da escada que leva à piscina, alinhou quatro vasos de buxinho topiado para servir de “cerca” para as crianças. Em vasos, distribuiu laranjinha- kinkã e cerejinha do Rio Grande e, num painel de treliça, pôs vasinhos de cerâmica vitrificada com hera, ripsális, arpago e jasmim. Para fazer o jogo de volume, uma iuca.
Jardim no banheiro de uma casa na Aclimação. À esq., jardim na entrada do ateliê da ceramista Vanisa Avanzo, com fonte, mandalas, vasos e plantas de várias espécies; destaque para a pendente, no meio: a diferente flor-de-cera retorcida
Pequenos jardins não precisam, necessariamente, ficar na parte de trás da casa. E o ateliê da ceramista Vanisa Cury Avanzo, numa movimentada rua do Morumbi, é exemplo disso. Quem passa na frente do sobradinho onde ela trabalha e expõe suas obras é atraído pelo visual da entrada. “Aqui era uma garagem, que pusemos abaixo”, explica a artista plástica, que, com o marido e o paisagista Bruno Carettoni, montou o jardim que atrai fregueses.
Romãzeira em vaso no jardim projetado por Odilon Claro. À direita, o tom rosa fechado das paredes remete à Toscana, assim como a trepadeira e os vasinhos em moldura branca
Quebrado o piso, foi criado um caminho sinuoso de cimento queimado, com juntas de cerâmica e incrustração de lajotinhas feitas por Vanisa. Num canto, um laguinho foi montado para que ela expusesse a fonte chamada DNA; do lado oposto, Bruno criou um gazebo, onde se destacam mandalas, um grande vaso com a exótica espécie chamada peixinho. Nas paredes, suportes de ferro galvanizado guardam vasos em forma de cone. Dentro de um deles, ripsális, a bela e diferente flor-de-cera retorcida, orquídeas e suculentas; em outro, a horta vertical abriga salsinha, cebolinha, hortelã, manjericão, orégano, tominho e morango. Isolada e bela, um minipata-de-elefante. No chão, dinheiro-em-penca, bromélias e pacovás.
“Tem gente que vem para ver a cerâmica e quer reproduzir esse jardim em casa”, diz Vanisa, que vai expor suas peças na 12ª Fiaflora ExpoGarden, feira internacional de paisagismo, jardinagem, lazer e floricultura, que vai de quinta-feira até domingo, no Anhembi.
VERDE NA VARANDA
link1. Numa varanda que recebe sol à tarde e muito vento, escolha, por exemplo, a trepadeira amor-agarradinho e ipomeia (usando sempre uma treliça como suporte); ixora, que, além de ornamental, atrai pássaros; fórmio, sempre numa jardineira horizontal junto à grade; bromélias variadas e buxinhos, que se mantêm verde o ano inteiro e permitem topiaria
link2. Em varanda com janela e que recebe o sol da tarde, plante mini-ixoras, lírios-da-paz e bromélias. Ripsális, flor-de-maio e columeias, em vasos suspensos
link3. Em varandas com muito vento, kaizucas em vasos grandes, ligustro, que vai bem até em meia-sombra, e eugênias, cuja folha é mais bonita que as flores
Exemplo de como se pode levar graça com pouco a um jardim. Neste, criado por Odilon Claro, o tom rosa fechado das paredes remete à Toscana, assim como a trepadeira e os vasinhos em moldura Branca
DICAS PARA MONTAR UM JARDIM EM CASA
link1. Comece pelo piso. Se for de cimento e você não quiser quebradeira, cubra o espaço com manta Bidim-Mac-Draim e, por cima, coloque de 3 a 4 cm de terra adubada. Verifique as aberturas para escoamento da água. Em seguida, coloque a grama (em rolos). Faça caminhos, espalhe pedriscos, pisadas, decks de madeira
link2. Distribua as plantas em vasos ou floreiras ou plante direto na terra. Consulte especialistas para saber as espécies que se harmonizam e onde, segundo a posição do sol, deve ser plantado o quê
link3. Disponha os vasos de maneira que uns fiquem mais altos que outros para criar volumetria. Espécies como jabuticabeiras, romãzeiras, azaleias, camarão e jasmim vão bem em vasos. Temperos, em canteiros longos ou vasinhos. Não esqueça as forrações
link4. Preste atenção nas paredes, que podem receber pintura, trepadeiras, quadros vivos ou suporte para vasos
link5. Componha seu jardim com outros elementos, como fontes, bancos, esferas e redes
link6. Mantenha o jardim sempre bem cuidado com regas, limpeza frequente e adubagem

Casas com pequenos JARDINS

Mesmo para quem não tem espaço fora de casa, é possível cultivar alguma coisa – manjericão ou alecrim, por exemplo – numa janela ensolarada. “Isto já basta para transmitir aquela sensação de estar ligado à terra.” Felder Rushing


Você acha que a sua casa é pequena? Que você não tem espaço pra nada?
É porque você não conheceu a ‘Casa Pequena” em Toronto, Canadá. Avaliada em 110 mil libras, algo em torno de 297 mil reais, a casa possui 28m² (2m de frente por 14 de profundidade.
A casa foi construída em 1912 e já foi reformada desde então. Hoje ela tem três dormitórios e uma banheira em tamanho natural. Os atuais proprietários continuam a fazer benfeitorias na casa, como jardim e móveis novos.
O interesse de investidores na construção vem crescendo. Já imaginou se vira moda?!Link


ArquivoO piso intervalado disposto em círculos deu movimento à entrada da casa. Algumas pedras foram dispensadas para que ali se cultivassem pequenas plantinhas. Projeto de Paula Galbi. Link

Foto: Pedro Abude Lembrança de infância 

Uma paixão de família. Essa é primeira coisa que se deve saber sobre a jabuticabeira em questão. o amor pela frutífera vem desde a infância do engenheiro José Carlos, quando habitava esta pequena casa geminada com os pais;projeto assinado pela paisagista Cláudia Muñoz, da Línea paisagismo. “a jabuticabeira é uma homenagem ao avô e, por isso, ela está no centro, rodeada por um canteiro de pedriscos”, explica Cláudia. Outras frutíferas, como o limoeiro, ficam acomodadas em vasos de barro.Link 

No pequeno jardim valorizei colocando palmeiras, iluminação de lampiões, um toldo na entrada da casa.Link

Foto: Divulgação
As jardineiras feitas com chapas de ferro oxidado e cortadas de forma onduladas invadem parte do piso de madeira. Em seu interior, as exóticas e suculentas rosas-de-pedra (Echeveria glauca) formam um paisagismo inusitado.Link
A mistura de arbustos e flores plantadas no lugar da grama é um exemplo da maneira como vê jardins,  – ou jardinagem lenta. O termo empresta o nome do movimento slow food, cujos adeptos acreditam no uso de ingredientes produzidos no local e colhidos de maneira ecologicamente responsável.Link

Pois bem em se falando de entradas das casas, apartamentos, escritórios, sempre nos deparamos com pouco ou nenhum jardim, o que é uma pena, mais acreditem, os bons fluídos, o cheiro das flores, o canto dos pássaros, a sombra, as cores quando temos esse jardim tudo isso adentram e antes mesmo de colocarmos os pés dentro já nos sentimos revigorados, o estresse será amenizado ao olharmos o entorno, e assim renovados para um novo dia…
Essa entrada pode ser simples, um vaso com flores, gramado, árvores (caso o espaço permita), mas que seja sua cara, porque um jardim é sempre bem vindo, e por isso traz boas vindas pra você mesmo e pros visitantes, então vamos incrementar, use e abuse de plantas na frente das casas, escritórios, apartamentos…Link
Para uma plantação, é preciso ter no mínimo 50 cm de terra.(Foto Divulgação)
Analisar o espaço é a primeira coisa a se fazer. É preciso verificar se o local possui boa, média ou baixa luminosidade, já que, nem todas as plantas são ideais para lugares com claridade intensa e direta.Link