Paisagismo na "Ilha Flutuante"

É difícil até mesmo dar um nome a esta estrutura única – é um barco ou uma ilha? 
A ilha flutuante de luxo inclui seis quartos duplos, com espaço para 12 residentes e quatro funcionários. O barco está ao preço de £ 3 milhões.
Os fabricantes  descrevem a ilha como um “sistema autônomo ,fonte de alimentação baseada em energia” alimentado por um sistema de energia eólica silencioso. A ilha também possui mais de 120 m2 de painéis solares.Recuperação de calor a partir da água do mar é usada para aquecimento e ar condicionado.
A empresa explica: “No início, meu objetivo era criar uma rede hoteleira de alta qualidade exclusiva baseada em plataformas flutuantes. Com o andamento do projeto, tornou-se claro que o conceito atraente e incomum de Ilhas Orsos não devem ser limitados a apenas um grupo selecionado de pessoas “.
“Orsos Islands deve atingir um público muito mais amplo, as pessoas com uma consciência da vida moderna e um sentimento de responsabilidade para com o meio ambiente.”
A empresa austríaca começou a construção do protótipo na Alemanha e na Hungria. O objetivo da empresa é mostrar a estrutura para o público até o final de 2013.
Ver Mais Fotos:
Anúncios

Jardim flutuante na Inglaterra e Comunidade sustentável com contêineres

Uma obra inovadora para a tradicional exposição de flores de Chelsea, em Londres, na Inglaterra (o RHS Chelsea Flower Show). O paisagista Diarmuid Gavin projetou um jardim flutuante, inspirado nas ilhas flutuantes do filmeAvatar, para ser apresentado no evento.
As peças são suspensas por guidastes e estão disponíveis para visitação do público a partir de hoje, 24 de maio, quando a exposição é aberta. O evento vai até o dia 28 e, nos cinco dias de apresentação das obras, são esperadas cerca de 160 mil visitantes.
O obra se chama “Jardim do céu Irlandês” e faz referência a projetos anteriores de Gavin. O paisagista é um dos criadores do ‘restaurante no céu‘, em que as pessoas podem comer em uma mesa pendura a 50 metros de altura.
Dá para ter uma noção, no vídeo a seguir, de como deve ser estar no jardim flutuante de Diarmuid Gavin.

*
Fotos: G1

Comunidade sustentável com contêineres

Imagina criar uma comunidade, como um bairro ou um distrito, totalmenteauto-sustentável e ambientalmente correta?
20110705-074950.jpg
Um grupo composto por artistas, arquitetos, engenheiros, administradores e outros profissionais liberais imaginou e projetou a HIVE: uma comunidade verde, a ser construída com contêineres empilhados em um padrão circular que lembra uma colmeia.
20110705-075004.jpg
A ideia é criar uma “aldeia verde” que seja capaz de fornecer alimentos,produzir energia limpa (como solar e geotérmica), reciclar materiais e reaproveitar água. Além disso, por ter muitos artistas no grupo criador do projeto, a expectativa é que o HIVE também seja um ambiente artístico e acessível à população.
20110705-075021.jpg
A comunidade inclui áreas residenciais, comerciais e de serviços e deve ser executado em quatro fases. Na primeira, prevê a adaptação de 72contêineres para iniciar o projeto. Ao todo, serão usados quase 500.
20110705-075027.jpg
Para que isso seja feito, a HIVE está na fase de arrecadação de dinheiro para comprar o terreno onde a comunidade ficará e recolhimento de contêineres.
20110705-075651.jpg
O projeto está previsto para ser concluído em 2016 em Houston, no Texas, nos Estados Unidos, e os criadores esperam que o conceito do projeto seja replicado e implementado em vários outros lugares do mundo.
Interessou? Curta a página da HIVE no Facebook para acompanhar o desenvolvimento.Link

Jardim flutuante limpa água e produz energia

Por Paula Rothman, de INFO Online

Chamado pelo criador de jardim flutuante, ele tem as formas e a transparência inspirados em uma espécie de caravela chamada Physalia physalis.

Sua estrutura de alumínio é recoberta por células solares, e no casco estão localizadas turbinas que transformam a correnteza em energia. Dessa forma, além de auto-suficiente, o barco ainda gera mais do que necessário para seu consumo.

Além disso, a parte que fica em contato com a água possui uma cobertura especial (com dióxido de titânio) que reage com os raios ultravioletas e quebra os poluentes em moléculas inofensivas, como dióxido de carbono e água.

Outro método de purificação é mais simples: trata-se de um grande filtro. Cruzando o casco, uma rede de canos também coleta  a água dos rios e a faz passar pelos jardins internos – nomeados “Água”, “Terra”, “Fogo” e “Ar” – devolvendo-a mais limpa ao ambiente.
O Physaliavisto de baixo e a comparação da estrutura do barco com a da caravela Physalia physalis

Estrutura desmembrada do Physalia mostra as camadas do projeto: cobertura de alumínio recebe um jardim no telhado.
Os jardins internos ajudam na purificação da água; o sistema está no projeto (abaixo) que mostra como a água passa pelo encanamento no casco.
Interior do barco, com vista para fora, e o deck com vidros.
Desenhos mostram como o barco poderia ser usado em alguns dos principais rios da Europa, como o Sena, em Paris.