Como secar flores, folhas e ervas naturalmente

De todos os métodos existentes de secagem de plantas, a técnica ao ar livre é a mais simples e natural. A vantagem deste método é preservar a forma e as cores de uma grande variedade de flores e plantas.
Não é necessário nenhum tratamento especial das plantas antes da secagem ao ar livre, é só cortá-las quando florescerem e retirar a folhagem – No entanto, você pode cortar botões florais e secá-los, se você preferi-los a flores já abertas.

folhas de hibiscos com clerodendro-vermelho
enquanto elas secam posso desfrutar da companhia por mais tempo
O melhor horário é no final do dia, isso garante que as flores estejam completamente aberta e livre de umidade.
material:
Então, vamos lá
– Corte e coloque os ramos cortados num vaso fundo com água fresca. Os ramos devem estar submersos pelo menos até metade do caule.
– Coloque o vaso num local fresco e seco, longe da luz direta do sol, dessa forma ainda dá para apreciar as flores durante todo processo.
Nessas condições ela pode durar por vários dias, desde que colocada em água com adição de açúcar e sem sol direto.
Dica importante: Naquela época (quando morava em Mauá) não conhecia aerossol floral selador, aliás, nem sabia da sua existência, quando comecei a perceber que os arranjos com flores caiam à toa só de relar, resolvi aplicar spray de cabelo extra forte, gente foi uma descoberta salvadora, além de deixar as flores perfumadíssimas.
– Não adicione mais água ao ver que a do vaso está evaporando. A ideia é essa mesma: quando a água tiver evaporado totalmente, suas flores devem estar lindamente secas.
Outra forma que também já experimentei e que dá super certo é secá-las pendurando os ramalhetes de cabeça para baixo, mantendo uma boa distância entre eles nas laterais. Use fios de ráfia ou barbantes para amarrá-los.
É importante que as plantas não fiquem amontoadas, para que o ar possa circular bem entre as pétalas e folhas. Se houver acúmulo de umidade, as plantas poderão apodrecer antes de mesmo de secarem completamente.
Penduradas amarradas em forma de ramalhetes e até deitadas, as flores preservadas pelo processo ao ar livre mantém uma boa parte de seu aspecto natural: suas formas, bem como suas cores são bem pouco alteradas.
Além das flores, caules e folhas que podem ser secos, há muitos outros materiais que podem ser selecionados e usados quase diretamente nos arranjos. Estes incluem sementes, pinhas, folhas, gramas, galhos, etc.
cesta com galhos e folhas secas
inspirações guardadas no baú das imagens
Dica: Pra quem não gosta do cheirinho de planta seca, é só colocar um pouquinho de essência a base de óleo fica uma delicia.
Amarre o alecrim pelos cabinhos, e deixe pendurado de ponta cabeça num varal. As ervas precisam secar naturalmente para não perderem suas propriedades e não mofarem. Isso demora uns 10 dias. Depois passa a mão pelos cabinhos para soltar as folhinhas Guarde em um vidro esterilizado e seco.
para você dar de presente

A beleza das Flores Secas do Cerrado

Há mais de 40 anos,
flores nativas do cerrado de Brasília
são desidratadas, pintadas

e vendidas no mesmo lugar:
ao lado da Catedral, na Esplanada dos Ministérios.

Os vendedores, todos homens,
chegam às 8h da manhã e
só vão embora quando escurece,

sete dias por semana.

São eles que colhem,
preparam e vendem papoulinha,
amarelão, capim do cerrado,

ourinho e palipalá,
entre muitas outras.

Todos dizem que é uma terapia
trabalhar com as flores,
que são um dos cartões postais de Brasília.

Guajará Ferreira de Paula
a trabalhar com as flores do cerrado
desde que aqui chegou,em 1984, aos 19 anos.

Aprendeu com o pai
a secar as flores e a pintá-las,
e hoje ocupa uma das 11 bancas.

Duas outras são ocupadas por irmãos
e sobrinhos de Guajará.

Atualmente, só homens fazem o trabalho,
desde a colheita da flores até o trabalho de vendê-las.

“Quando eu cheguei, duas mulheres trabalhavam,
mas logo saíram”, diz Guajará.

Toda a família está envolvida com as flores.
Guajará, que trabalha com três irmãos,
diz que o negócio é não ficar parado.

“Se não tem comprador,
arrumamos os arranjos,
estamos aqui todos os dias”

afirma o artesão que,
como os demais,
é cadastrado na paróquia da Catedral.

Guajará diz que não é fácil
conseguir o cadastramento,

por isso as famílias acabam ficando
e passando o ofício de pai para filho.

“As melhores vendas são no mês de julho
ou no final do ano.


Quando tem manifestação na esplanada também é bom,
pois vem muita gente de outros estados
e eles se encantam com nosso trabalho.

Os brasilienses compram,
mas os melhores compradores são os turistas”,
diz Guajara.

Toda a mercadoria é mantida no mesmo lugar,
dia e noite.

Para evitar contratempos,
os vendedores pagam um vigia noturno,
José Prudêncio.

O policial que faz ronda na Catedral também ajuda.
“Às vezes, o vigia falta, mas nunca roubaram nada”
afirma Josemar Fernandes de Sousa,
que há 38 anos trabalha com as flores em Brasília.

Pedro dos Santos Fernandes tinha 9 anos
quando começou a trabalhar com as flores secas do Cerrado.
O brasiliense, hoje com 47 anos,
aprendeu com o pai, que veio da Paraíba
e trabalhava na Catedral com as flores.

“Peguei amor pela profissão”
Os filhos ajudam tanto na venda como na colheita.
“Vou com um grupo de gente para o mato”


Ele colhe, desidrata, armazena em um depósito e pinta.
Costuma percorrer o cerrado de Cristalina e Padre Bernardo.
“Antes era aqui mesmo em Brasília, mas acabou”
diz o artesão.

Às vezes, as flores são comprados por quilo,
de “roceiros”, como explica o artesão
Vidal Raimundo de Oliveira.


Ele também colhe,
com os filhos e os irmãos,
no Entorno do Distrito Federal.

Flores secas para decoração no inverno

Além do intenso frio de doer os músculos, o inverno gera outra frustração: as flores nem sempre resistem ao seu rigor. Quem gosta de ter casa florida, colorida e aromática fica sem saber o que fazer. E o que dizer de quem considera flores o melhor ornamento de vitrines, e de usá-las na decoração de escritórios etc?
Para dar uma forcinha a você que nos lê e está procurando algo que deixe o inverno mais bonito, aí vai uma estratégia perfeita para deixar seu ambiente de trabalho ou residencial sempre bonito: flores secasIsso mesmo! As flores que restaram do verão, daquele lindo buquê de rosas podem ser bonitas secas.  As flores secas são elementos decorativos que combinam com qualquer estilo, e podem ser penduradas na cozinha em cestos e vasos, podem se tornar lindíssimos arranjos em vidros, ao lado de velas,  e de itens em bronze ou madeira.
E, independente da estação do ano, você pode secar as flores e fazer um pout-pourri com flores viçosas para decorar ambientes.

Como fazer flores secas

Para que as flores durem por muito mais tempo, elas não precisam ser de plástico. Continue investindo em flores naturais que, após um processo de secagem, podem continuar embelezando o seu ambiente.
Você pode retirar algumas folhas do caule da flor ou, caso prefira arranjos robustos, deixe que a flor permaneça com as suas folhas.
Arrume flores variadas da forma que você deseja que elas enfeitem o seu espaço depois, juntando-as por meio de um elástico fino. Por favor, nada de cordas ou fitas, que podem deixar as flores caírem durante a secagem.
Pendure as flores em uma área ventilada, fora do foco da luz solar.
Você também pode deixar as suas flores secarem em caixas de papelão (caixa de sapato, por exemplo).
Após a secagem das flores, cujo tempo varia de acordo com as condições e métodos, borrife aerossol floral selador.Link

Flores e Plantas Secas

Técnica de secagem ao ar livre
De todos os métodos existentes de secagem de plantas, a técnica ao ar livre é a mais simples e natural. A vantagem deste método é preservar a forma e as cores de uma grande variedade de flores e plantas.
Penduradas amarradas em forma de ramalhetes e até deitadas, as flores preservadas pelo processo ao ar livre mantém uma boa parte de seu aspecto natural: suas formas, bem como suas cores são bem pouco alteradas, tornando-as ideais para a composição de arranjos onde se busca maior naturalidade possível. Para este processo, sugere-se a utilização de espécies que sejam bem resistentes à ação do tempo, como as sempre-vivas, os cravos, estatices, cristas-de-galo ou celósias, primaveras, hortênsias e até gramíneas como aveia e trigo. As gypsophilas ou mosquitinhos também dão excelentes resultados.
Para fazer a secagem de plantas pelo processo ao ar livre, você vai precisar de um local seco, fresco e com boa circulação de ar. O local, é claro, precisa ser coberto, para que haja proteção contra chuvas e umidade. É possível obter bons resultados até em garagens e armários bem ventilados.
Com as plantas deitadas…
As espécies mais indicadas para este tipo de secagem são as gramíneas. É importante, porém, que as plantas não fiquem amontoadas, para que o ar possa circular bem entre as pétalas e folhas. Se houver acúmulo de umidade, as plantas poderão apodrecer antes de mesmo de secarem completamente:
  • Forre uma superfície plana e lisa com folhas de jornal, papelão ou outro material absorvente;
  • Espalhe bem as plantas sobre esta superfície, de maneira a garantir boa circulação de ar, especialmente entre as hastes, onde há maior acúmulo de umidade. Deixe secando e evite o excesso de manuseio.
Com as plantas em vasos…
Outro processo de secagem bem simples pode ser realizado com as plantas em vasos. Dão bons resultados: gramíneas em geral, papiros, cebola ornamental, estatices, hortênsias, mimosas, esporinhas e gypsophilas.
  • Para obter bons resultados com as hortênsias, mimosas, esporinhas e gipsophilas, coloque-as em um vaso com um pouco de água no fundo (mais ou menos uns 5 cm);
  • As outras espécies devem ser colocadas em um vaso sem água, observando a quantidade de plantas: evite colocar plantas demais em um vaso de boca estreita, pois isso facilita o abafamento das hastes, podendo causar o apodrecimento das plantas.
Com as plantas penduradas em ramalhetes…
Este é o processo mais simples de secagem ao livre. As rosas, sempre-vivas, estatices, mil-folhas e mimosas são as que dão melhores resultados:
  • Comece formando os ramalhetes com poucas plantas. Umas dez hastes são suficientes para cada um. Junte as hastes e amarre-as.
  • Com muito cuidado, separe bem as hastes para facilitar a circulação de ar entre eles.
  • Instale alguns varais a uma distância de uns 25 cm entre eles, para evitar que as plantas fiquem acumuladas. Outro fator importante: calcule uma distância de uns 15 cm entre o teto e os varais.
  • Pendure os ramalhetes de cabeça para baixo, mantendo uma boa distância entre eles nas laterais. Use fios de ráfia ou barbantes para amarrá-los.
  • Não é necessário nenhum tratamento especial das plantas antes da secagem ao ar livre.
  • jardimdeflores.com.br