Fibra de COCO



O Painel Vertical de fibra de coco COQUIM com mantas ou placas , permite cultivar plantas e flores de diversas espécies em paredes, muros e fachadas de casas e prédios. Os painéis verticais não ocupam espaço no solo, são práticos, ajudam a filtrar o ar, reduzindo a poluição sonora e visual.

Com o aquecimento global e os elevados índices de desmatamento, os painéis verticais trazem mais  verde e beleza aos moradores dos grandes centros urbanos como para qualquer ambiente interno ou externo. Link



Favo Verde é um produto de fibra de coco prensada, de formato hexagonal. Suas características de produção e os atributos da fibra do coco garantem uma resistência mecânica, química e microbiológica. Sua estrutura permite formar paredes auto-sustentáveis ou fixadas em outras. Os painéis são de fácil instalação e sua manutenção é simples, podendo ser regados evitando vazamento, devido à capilaridade da fibra e à disposição das colmeias.
O Favo Verde é uma solução ecológica para o problema de áreas verdes em centros urbanos.

Usos

O Favo Verde foi projetado para ser instalado em muros, taludes e paredes revestidas. Desta forma é possível tirar proveito de suas propriedades em praticamente qualquer projeto arquitetônico.Link

Anúncios

Fique por dentro – Fibras Vegetais

Fibra vegetal

 Pode ser fiada, obtida das sementes, caules, folhas e frutos de plantas. Fibras podem ser divididas em:
 Fibras de Semente ( Algodão , sumaúma),
 de  caule ( Linho , cânhamo , juta , kenaf , rami , cânhamo de Bengala),
 de  Folhas ( sisal , cânhamo de Manila), 
e Fibras de Fruto ( Cairo – fibra de coco , etc)


Linho

Linum usitatissimum
Poucos sabem mas do caule  retira-se  as fibras para fazer o linho!!! Aquele tecido (nobre) usado para confeccionar roupas.
Das sementes extrai-se o óleo que é utilizado nas indústrias de tintas e resinas. Contudo, além destas aplicações, o óleo de linhaça é usado como um nutracêutico, por ser rico em ácidos linoleicos, conhecidos como Ômega 3, que promove uma ação protetora para o coração e vasos sanguíneos.  
As sementes da linhaça são utilizadas como complemento alimentar, sendo adicionadas a massas, pães, bolos e cereais. As sementes podem ser usadas, ainda, como laxativas.
Como veêm  esta planta é utilizada quase na sua totalidade.

Coco

fibra de coco, também chamada Coir, provém do coqueiro comum (cocus nucifera). É a única fibra de fruta que é usada em quantidade digna de ser mencionada.
coqueiro é plantado na Índia desde a antiguidade. Lá ele é chamado de “Árvore do Bem-Estar” ou “Árvore do Céu”. Desde 1840 o plantio é feito em grande escala.
O coco fornece um sem-número de artigos importantes, como o leite de coco, a parte aderente à casca e as fibras. A parte interna, rica em albumina e gordura, é picada e ralada e depois vendida sob o nome de copra. Da copra retiram-se o óleo, a gordura de coco e o óleo de copra ou copraol. Do mesocarpo obtém-se a fibra. A casca é utilizada em objetos decorativos. Na culinária emprega-se a gordura vegetal de coco, coco ralado e leite de coco.

Juta

 

A Juta é uma fibra têxtil vegetal que provem da familia das “tilipaceas”. Esta erva lenhosa alcança uma altura de três a quatro metros e o seu talo tem uma grossura de aproximandamente 20mm, crescendo em climas úmidos e tropicais. A época de semear varia, segundo a natureza e o clima.

Algodão

O algodão é uma fibra macia que cresce em torno das sementes da planta do algodão.
É obtido a partir de um vegetal cientificamente conhecido como Gossypium.
Pode ser encontrada em um arbustos nativos das regiões tropicais e subtropicais, tanto do Velho Mundo como no Novo Mundo.
A fibra utilizada freqüentemente é fiada em fio compacto e utilizada para fazer tecidos como soft e a própria malha de algodão.
O tecido de algodão é conhecido pela sua forma natural, versatilidade, e conforto.

Sisal

O sisal (Agave sisalana), família Agavaceae) é uma planta utilizada para fins comerciais.
A. sisalana é cultivado em regiões semiáridas. No Brasil, os principais produtores são os estados da Paraíba e da Bahia, neste último, especialmente na região sisaleira, onde está localizado o maior polo produtor e industrial do sisal do mundo, que é a cidade de Valente, no estado da Bahia.
Em Valente, encontra-se uma das maiores indústria textil de Sisal do mundo, a APAEB. produzindo Carpetes, tapetes, Capachos e Fios.
Do sisal, utiliza-se principalmente a fibra das folhas que, após o beneficiamento, é destinada majoritariamente à indústria de cordoaria (cordas, cordéis, fios, tapetes etc.).

Rami

O rami tem origem nas fibras do caule da planta de rami.
Simbologia: CR.
Origem: fibra natural vegetal de caule.
História: o rami, junto com a seda, é uma das fibras mais conhecidas da antiguidade. Chamado de linho brasileiro, este era a fibra mais importante da China, cultivada antes do algodão.
Passadoria: 175º a 230ºC desde que esteja umedecido.
Lavabilidade: ótima. Resistente à fervura e a sujeira sai com facilidade.
Característica: toque macio porém mais grosso que o linho, aspecto sedoso, muito resistente, amassa facilmente, boa absorção de umidade.
Uso do rami: confecção em geral, como toalha de mesa, rendas, chapéus, cintos, tecidos técnicos para uso em tendas, rede de pescaria, cordas, inclusive o papel moeda e o papel parea cigarro.

Cânhamo

O cânhamo tem origem nas fibras do caule da planta de cannabis ruderallis. Tanto o cânhamo quanto a maconha são membros da família da cannabis, mas são cultivos diferentes dentro dessa família.
Origem: fibra natural vegetal de caule.
Absorção de umidade: muito alta, 35% do peso da fibra.

Lavabilidade: ótima. Lavagem forte devido sua alta resistência.
Características: essa planta chega a ter até 4,5 metros de altura e possui longas fibras no seu caule. Essas plantas são resistentes a pragas, ou seja, tem poucos parasitas e doenças. O arbusto cresce em 4 meses, seu cultivo não empobrece o solo. Marcas como Adidas, Calvin Klein, Osklen, Redley entre outras, tem peças feitas com tecido de cânhamo.