Parque del Retiro

Parque del Retiro foi projetado para o gozo da aristocracia no século XVII. Anos mais tarde foi transformado em parque público e se tornou o parque mais popular entre os madrilenhos. E motivos não faltam para ter caído no gosto popular. O parque é uma graça. São várias alamedas, lagos artificiais, fontes, além de muitos artistas de rua e gente esparramada pela grama tomando sol.Link
Parque del RetiroParque del RetiroParque del RetiroJardim Buen RetiroParque del Retiro
E no inverno parece que tudo fica ainda mais bonito, com as árvores secas e algumas folhas teimando em resistir…
Parque del RetiroParque del RetiroParque del Retiro
No centro do parque fica um imponente monumento a Afonso XII, em bronze e mármore. Se o calor ajudar, dá até para encarar um pedalinho no lago em frente ao monumento.
Parque del Retiro
Outro destaque é o Palacio de Cristal, que foi construído para abrigar uma exposição de plantas exóticas, mas desde 1990 integra o Museu Reina Sofia e recebe de tempos em tempos exposições de arte.
Parque del RetiroParque del Retiro
Palacio de Velázquez também faz parte do Museu Reina Sofia e recebe exposições. Mesmo se estiver fechado, não deixe de reparar nas abóbadas de ferro e vidro, e nas cerâmicas coloridas que formam diversos desenhos.
Parque del Retiro
Depois de caminhar, descanse em um dos vários cafés e aproveite para observar o movimento.
Parque del Retiro
Enfim, é um ótimo programa para adultos e crianças. Feriado ou não, faça como os locais: vá ao Parque del Retiro.

Jardim vertical em museu é atração em Madrid


A vegetação não precisa de terra, apenas água, sais minerais, luz e dióxido de carbono para sobreviver. |Imagem: Javier1949 / Flickr
O mais novo museu em Madrid, o CaixaForum, tem um jardim vertical em uma das paredes exteriores. Projetado pelos arquitetos suíços Herzog & Meuron, há 15 mil plantas de mais de 250 espécies diferentes que cobrem uma parede de 460 m2 de uma antiga estação de energia de 1899.
|Imagem:econifty.com
Eles conseguiram obter um “encontro muito incomum entre o áspero e o natural” com um alto contraste entre o edifício restaurado que utiliza estruturas metálicas enferrujadas e belas plantas verdes incorporando-o à natureza. A vegetação não precisa de terra, apenas água, sais minerais, luz e dióxido de carbono para sobreviver.
|Imagem:econifty.com
O CaixaForum é um centro sócio-cultural inaugurado no coração de Madrid, em fevereiro de 2008 e serve como museu, auditório, galeria de arte, livraria e restaurante.
O criador do jardim é o botânico francês Patrick Blanc, conhecido por seu trabalho na França, Quai Branley Office Wing – seu primeiro jardim vertical e é esperado para instalar o próximo na China ou provavelmente no Reino Unido. Na verdade, ele disse que tais projetos podem ser criados em qualquer lugar, mesmo em espaços difíceis, onde você não esperaria encontrar nada verde. Sua experiência vem de estudos relacionados a florestas tropicais.
|Imagem: Antonio Ajuelo / Flickr
Os jardins verticais de Blanc mostram que a fauna incorporada com a arquitetura pode ser tanto funcional quanto oferecer uma bela paisagem. O sistema consiste em uma camada de PVC juntamente com feltro e uma armação de metal. Nenhum solo é necessário para a sobrevivência das plantas, o que é uma característica surpreendente.
Há inúmeras vantagens de um jardim vertical, incluindo a melhora na qualidade do ar, redução de ilhas de calor, isolamento acústico e diminuição da insolação. Ele pode ser instalado em paredes interiores ou exteriores.
|Imagem: Federico Vaz Gómez / Flickr
Se todos os edifícios em Nova York fossem cobertos por estas vegetações, não haveria tanta poluição. Como um protetor do clima e isolante, as paredes verdes provavelmente podem suportar ventos fortes e luz UV extrema, o que as torna adequadas para regiões com padrões climáticos rígidos.
Hoje a invenção de Blanc pode ser vista em cidades de todo o mundo: Paris, Bruxelas, Nova York, Osaka, Bangkok, Nova Delhi e Gênova, para citar apenas alguns. 
Redação CicloVivo