Árvores famosas

1 – Baobab Bule – Madagascar –  Assume a forma de garrafa e também se parece com bule, por isso que seu nome tem bule. Esta árvores está localizada em  Ifaty , Madagascar. Tem cerca de 1200 anos e capacidade de armazenar mais de 117.000 litros de água. Pode suportar condições de seca severa.


2 – Boab Prison Tree – Austrália – A prisão Árvore Boab é um grande Adansonia gregorii (Boab) oca localizada ao sul de Derby, Austrália Ocidental . Ela tem a fama de ter sido usada na década de 1890 por prisioneiros australianos indígenas em caminho a Derby para condenação.

Agora, é uma atração turística. Nos últimos anos, uma cerca foi erguida ao redor da árvore para protegê-la de vandalismo

3 – Cotton Tree – Serra Leoa – A árvore de algodão é uma Ceiba pentandra (tropical), um símbolo histórico de Freetown , capital de Serra Leoa. Segundo a lenda, o “Cotton Tree” ganhou importância em 1792, quando um grupo de ex-escravos afro-americanos, ganharam a sua liberdade lutando para os britânicos durante a Guerra da Independência Americana.

Segundo a tradição, eles desembarcaram no litoral e caminharam até uma árvore gigante acima da baía e realizaram uma ação de graças, reunindo ao redor da árvore, orando e cantando hinos para agradecer a Deus por sua libertação. Sua idade exata é desconhecida, mas sabe-se ter existido em 1787.


4 – Sunland Baobab – África do Sul –  É uma enorme baobá conhecido (Adansonia digitata) na África do Sul. A árvore está localizada na Sunland Farm (Platland Farm), perto Modjadjiskloof, província de Limpopo. O Big Sunland Baobab é conhecido por seu tronco oco. Tem cerca de 1060 anos de idade. 

O tronco da árvore consiste em duas partes conectadas. Cada uma destas partes tem a sua própria oca ligadas por uma passagem estreita. Diâmetro da árvore – 10,64 metros, altura de 19 metros e diâmetro da copa – 30,2 metros. Circunferência do tronco – 33,4 metros

5 – Árbol del Tule – México – É uma árvore localizada no terreno de uma igreja, no centro da cidade de Santa Maria del Tule , no estado mexicano de Oaxaca, a cerca de 9 km a leste da cidade de Oaxaca. Em 2001, foi colocado em uma lista provisória  do Património Mundial da UNESCO.

É um cipreste de Montezuma (Taxodium mucronatum), ou Ahuehuete (que significa “velho homem da água” na língua local). Ele tem o mais robusto tronco de qualquer árvore do mundo.  Em 2005, seu tronco tinha uma circunferência de 36,2 m, o que equivale a um diâmetro de 11,62 m.

6. Cajueiro de Pirangi – Rio Grande do Norte – Brasil – O maior do mundo, registrado no Guiness Book, é uma das atrações de quem visita o Rio Grande do Norte no período de alta temporada. É nesta época que a árvore gigante começa a florescer e, em janeiro, aparecem os primeiros frutos.

Segundo a Prefeitura de Parnamirim, a árvore tem 121 anos e foi plantada por um índio. Estudos apontaram que o cajueiro tem uma planta central e que seus galhos cresceram lateralmente, gerando outras ramificações com raízes de até 10 metros de profundidade.

Segundo dados municipais, o cajueiro já se espalhou por uma área de 8.500 metros quadrados e seu crescimento é explicado pela conjunção de anomalias genéticas. Os galhos crescem esparramados para os lados, se curvam devido ao peso, chegam ao solo e criam raízes. 

Depois, crescem para cima como se fossem troncos de um novo cajueiro –estudos genéticos realizados em galhos e troncos que saem da planta central, porém, apontaram que eles são geneticamente iguais.


7. Em uma área protegida no alto das Montanhas Brancas no leste da Califórnia, 25 quilômetros a leste de Bishop, você pode encontrar as mais antigas árvores vivas do mundo. Com uma beleza encantadora e retorcida, ospinheiros Pinus longaeva, conhecidos em inglês como “bristlecones” (palavra que pode ser traduzida como “cones de cerdas”), têm entre 1.000 a cerca de 4.800 anos de idade.

É nesta floresta que fica também uma das mais antigas árvores da Terra, apelidada de “Matusalém” (em homenagem a Matusalém, a pessoa que viveu por mais tempo na Bíblia), com quase 5.000 anos de idade

No entanto, boa sorte em encontrá-la, já que sua localização exata não é revelada pelo Serviço Florestal dos EUA, para protegê-la de vandalismo.

8. A Árvore da Vida – é uma árvore solitária vive no meio do deserto do Bahrein há 400 anos. Sharajat-al-Hayat, como é chamada no idioma local, sobrevive no ambiente árido e continua crescendo, muito longe de qualquer outro sinal de vegetação.

A árvore tornou-se uma lenda, pois os habitantes locais acreditam que ali seria o verdadeiro local do Jardim do Éden e os beduínos creem que ela foi abençoada por Enki, o deus mítico da água.

Sua fonte de água permanece um mistério. Pesquisadores afirmam que as raízes são tão profundas e extensas que conseguem obter água de fontes que ficam a quilômetros de distância.Link

Dia da ÁRVORE

 Essa data foi escolhida em razão da chegada da primavera. Mas antes da escolha dessa data, acontecia no país, na última semana de março, a festa Anual das Árvores, instituída pelo presidente Castelo Branco, em 1965.
Mais adiante, a árvore ganhou um dia especial em virtude de sua importância para a vida humana e também com a chegada da primavera, onde ganham nova vida e abrem lindas flores que dão origem a novas árvores.
Com a chegada da primavera podemos ver as cidades mais alegres, pois essas se enchem de flores de todas as cores.
Muitos pensam que a árvore que simboliza o Brasil é o pau-brasil, em razão do nome, mas esse título cabe ao ipê-amarelo, uma das cores que representam o nosso país. O pau-brasil encontra-se em extinção, pois foi muito contrabandeado por ser uma madeira de cor avermelhada e de aparência nobre. Além dessa, o jacarandá, o mogno e o pinheiro também se encontram nas mesmas condições de extinção.
As árvores são plantas que possuem um caule lenhoso e são constituídas por raiz, caule, folha, flor, fruto e sementes. São elas que nos fornecem o ar que respiramos, além das frutas e outros tipos de alimentos; a madeira para construção de móveis, casas, objetos decorativos, cercas; também fornecem remédios; e a celulose, matéria-prima para a fabricação de papel.
Em face das necessidades dos homens em construir novas moradias e melhorar suas condições de vida, as árvores acabaram sendo alvo de destruição, pois grandes áreas foram desmatadas para a construção das cidades.
O contrabando de madeiras também fez com que grandes áreas fossem destruídas, principalmente na floresta amazônica, onde o acesso a outros países é mais fácil e próximo. Os prejuízos seriam menores se fossem plantadas novas árvores nos lugares das devastações, mas o tempo que levam para crescer é muito grande.
O homem precisa ter consciência de que as plantas também são seres vivos e que levam tempo para se desenvolverem. Uma árvore leva longos anos para ficar bem desenvolvida e algumas são tão velhas que são tombadas como patrimônio histórico, devendo ser preservadas.
Por Jussara de Barros Link