Phoenix dactylifera

Tamareira
Com um tronco único ou raramente formando touceira, de quase 50 cm de diâmetro e coroa foliar frondosa, esta palmeira é composta por folias pinadas. É uma espécie dioica, isto é possui exemplares masculinos e femininos. Prefere solos soltos, bem permeáveis e embora originária de regiões de baixa umidade ambiente e poucas chuvas, se beneficia com regas regulares e adubações orgânicas e de liberação controlada. A melhor época para transplantar exemplares adultos é no verão.
Seus frutos deliciosos alimentaram os povos do Oriente Médio desde 6.000 anos a. C. e, atualmente, são cultivados em Iraque, Arábia Saudita, Marrocos, Israel, Turquia, Índia, Paquistão e também na Califórnia, Arizona e sul da Flórida. Cada pé, depois de uma espera de pelo menos cinco anos, pode produzir de 80 a 120 kg de tâmaras, dependendo da variedade e considerando que existem centenas delas.
No paisagismo está sendo popularizada, nos últimos anos, com sucesso devido a rusticidade da espécie.
  • Sinônimos estrangeiros: date palm (em inglês); datilera, palma común, fénix, támara, datilero, (em espanhol); tamar (em árabe).
  • Família: Arecaceae. 
  • Porte: de 25 a 30 m de altura, excecionalmente 40 m.
  • Fenologia: atemporal.
  • Cor da flor: amarelada.
  • Cor da folhagem: verde-cinzento.
  • Origem: Norte da África e Oeste da Ásia. 
  • Clima: tropical / subtropical (tolera temperaturas de até -5º).
  • Luminosidade: sol pleno. Link
Anúncios

Spondias mombin

cajazeira, cajá, taperaba, cajá-mirim
A cajazeira é uma árvore caducifólia, isto é, perde as folhas (durante o outono). Sua copa é baixa e bastante ramificada e fica da cor do ouro durante o outono. Seus frutos são amplamente utilizados na culinária.
  • Sinônimos estrangeiros: Ciruela amarilla (em espanhol); hog-plum, mexicam-plum (em inglês); jobo (no México); ashanti (em Gana); iyeye (na Nigéria); amra (na Índia); makawk (na Tailândia); mope (no Suriname).
  • Família: Anacardiaceae
  • Características: Árvore caducifólia com copa piramidal
  • Porte: 20 a 25m
  • Fenologia: Agosto e Setembro
  • Cor da flor: Creme. As flores são melíferas.
  • Fruto: Outubro a Janeiro. Nutritivos e saborosos em sucos, geléias, sorvetes, picolés e cremes
  • Cor da folhagem: Verde, dourada no outono.
  • Origem: América Tropical, desde México e Caribe até o Sul do Brasil.
  • Clima: Tropical, subtropical. Muito comum no Cerrado nordestino.
  • Luminosidade: Sol pleno.Link

BANANA VERMELHA



Você sabia que existem bananas de casca roxa ou vermelha? A Banana São Tomé é uma delas. Existem dois tipos da São Tomé, que se diferenciam apenas na cor da casca, podendo ser também amarela. Essas bananas são pouco apreciadas, devido à polpa amarela e ao cheiro muito forte. No entanto, recomenda-se consumi- las cozidas, fritas ou assadas. A banana São Tomé chegou ao Brasil trazida pelos portugueses no século 16 e o nome faz referência ao país africano São Tomé e Príncipe, seu local de origem. No estado de Minas Gerais, o distrito de São Tomé, recebeu esse nome graças a uma abundante quantidade de bananeiras São Tomé encontradas no centro do antigo povoado. Nos dias de hoje é rara sua existência.

banana-vermelha (Musa acuminata) pertence ao grupo AAA, que é o mesmo da banana de Cavendish. É originária  do  Caribe.

O nome científico oficial da espécie é Musa acuminata (Grupo AAA) ‘Red Dacca’. Portanto existem vários sinônimos:
  • Musa acuminata (Grupo AAA) ‘Red’
  • Musa sapientum rubra
  • Musa sapintum var. rubra
  • Musa rubra
  • Musa × paradisiaca var. rubra
  • Musa acuminata ‘Cuban Red’
  • Musa acuminata ‘Red Jamaican’
  • Musa acuminata ‘Jamaican Red’



Nome Científico: Musa acuminata
Autor: Colla
Nome(s) Popular(es): Banana, Banana-vermelha
Família (Cronquist): Musaceae
Família (APG2): Musaceae
Gênero: Musa 


Os nomes da planta em vários idiomas.
  • Birmanês: Shwe nget pyaw
  • Chinês: Hong guo jiao
  • Dinamarquês: Kubabanan/Aeblebanan/Rodbanan
  • Holandês: Rode banaan/Cubabanaan
  • Francês: Banane rouge/banane de Cuba
  • Alemão: Weinrote Banane/Kuba banane
  • Hindi: Chenkadali/Lal kera/Lal kela
  • Indonésio: Pisang Susu Merah
  • Italiano: Banana rossa/Banana di Cuba
  • Japonês: Baracoa
  • Malaio: Pisang raja udang
  • Português: Banana vermelha
  • Polonês: Czerwony banan
  • Cingalês: Rathambala
  • Espanhol: Tafetan morado/Tafetan (Colômbia)/Guineo morado (Cuba)/Plátano colorado (Equador e Porto Rico)/Banano rojo
  • Tagalo: Morado
  • Tâmil: Sevvazhai
  • Tailandês: Kluay nak
  • Malaio: Kadali
Wtf? As bananas-mistério!


Link,link e link

Frutas à MÃO

Aproveite os espaços livres para incluir frutíferas.Além dos frutos saborosos,as espécies dão charme aos ambientes.


PITANGUEIRA

Ocorrência – de Minas Gerais ao Rio Grande do Sul

Outros nomes – pitangueira, pitangueira vermelha, pitanga roxa, pitanga branca,

pitanga rósea, pitanga do mato.

Habitat – formações florestais do complexo atlântico da floresta de encosta até a restinga e, nas matas do interior desses estados (floresta estacional semidecidual).

Propagação – sementes

Madeira – moderadamente pesada, dura, compacta, resistente, de longa durabilidade natural.

Utilidade – a s flores são melíferas e os frutos avidamente consumidos pelas aves, peixes e pelo próprio homem. Frutos de perfume agradável e sabor doce, usados ao natural, em geléias, doces, refrescos. Espécie muito cultivada em pomares domésticos e de grande potencial para reflorestamentos. Ainda é utilizada como ornamental.

Florescimento – agosto a novembro

Frutificação – outubro a janeiro Link


ROMÃZEIRA


A romã, cujo nome científico é Punica granatum, pertence à família das punicáceas. Nativa e domesticada no Irã (antiga Pérsia) por volta de 2000 A.C., esta fruta foi levada pelos fenícios para o Mediterrâneo de onde se difundiu para as Américas, chegando ao Brasil pelas mãos dos portugueses. 


Na época das guerras Púnicas, os romanos trouxeram a fruta dos territórios de Cartago e chamaram-na Malum punicum. Portanto, julgaram-na erroneamente como sendo originária do norte da África. 


No Oriente Médio, a romã é usada na culinária regional em pratos salgados, no preparo de almôndegas e peixes recheados e em saladas com berinjela. 100 gramas da fruta fornecem 62 kilocalorias, sendo altamente rica em fósforo. O fruto é consumido fresco e o suco feito com as sementes é utilizado na fabricação do xarope granadina, usado em condimentos e licores. Link


JABUTICABEIRA

Formas Cultivadas

  • jabuticaba-açu-paulista: frutos grandes de sabor levemente adstringente, consumidos “in natura”
  • jabuticaba-ponhema: muito produtiva, frutos grandes ligeiramente amargos,usada na produção de geléia
  • jabuticaba-precoco: frutificação freqüente, frutos pouco resistentes, com casca muito fina
  • jabuticaba-vermelha: porte baixo, frutos vermelho-vinho


A jabuticaba além de apreciada na fruta faz sucos deliciosos e doces também mas o muitas pessoas não sabem são suas propriedades medicinais .

Benefícios da jabuticaba à saúde – “Protege e estimulam a reparação dos tecidos ricos em colágeno – principal proteína da pele, responsável pela firmeza e elasticidade; protege contra a aterosclerose; combate as rugas, reduzem a produção de histamina (o que aumenta a resistência do organismo contra a agressão de certas substâncias mutagênicas), o colesterol comum e o LDL (o mau colesterol) e os radicais livres; melhora a circulação sanguínea periférica…” Link e Link



ACEROLEIRA

Uma das frutíferas mais fáceis e versáteis existentes, vamos conhecer melhor a Aceroleira, esta planta que gera a frutinha que é muita vitamina C, além de dar um colorido muito interessante para seu Jardim.A acerola (Malpighia emarginata ou Malpighia glabra), também conhecida popularmente como cereja-das-Antilhas ou cereja-de-barbados, tem origem nas Antilhas, América Central e norte da América do Sul. Pertence à família das Malpighiaceae.

O fruto nasce na aceroleira, que é um arbusto de até três metros de altura, cujo tronco se ramifica desde a base e cuja copa é bastante densa com pequenas folhas verde-escuras e brilhantes. Suas flores, de cor rósea-esbranquiçada, são dispostas em cachos e têm floração durante todo o ano. Após três ou quatro semanas, se dá sua frutificação.Link
LIMOEIRO
limão (conhecido no Brasil e na África como limão siciliano ou limão verdadeiro; espécie Citrus x limon) é o fruto de uma pequena árvore de folha perene originária da região sudeste da Ásia. Apresenta diversas variedades cultivadas, sendo uma dezena delas frequentes, como por exemplo o limão Eureka  o limão Lisboa , o limão Fino, o limão Verno, o limão Villafranca, o limão Lunário, etc.Os limoeiros são árvores pequenas (não atingem mais de 6 metros de altura), espinescentes, muito ramificadas, de caule e ramos castanho-claros; as folhas são alternas, oblongo-elípticas, com pontuações translúcidas; as inflorescências são de flores axilares, alvas ou violeta, em cacho. Reproduz-se por estacas de galhos, em solo arenoso e bem adubado, de preferência em regiões de clima quente ou temperado.Link
ARAÇAZEIRO
É uma fruta pequena, tipo baga, arredondada, de cor amarelada, predominando o alaranjado e o amarelo-claro. Polpa esbranquiçada, adocicada, sendo pouco ácida, suculenta, aromática e adocicada. Contêm muitas sementes reniformes em seu interior. Os frutos atraem muitas espécies de pequenos pássaros.Frutificação primavera e verão.Fruto do araçazeiro, o araçá tem o seu sabor lembrando um pouco o da goiaba, embora seja um pouco mais ácido e de perfume mais acentuado. Tem, também como a goiaba, a polpa macia e cheia de sementes sendo, porem, a maioria de suas variedades comuns menos carnuda e menos valiosa economicamente. É usado no preparo de sorvetes e refrescos e também de um doce muito parecido com a goiabada.Link