A MUSA DAS ÁGUAS

Existe um grupo de plantas que prefere o movimento suave da água à firmeza da terra. Com folhas minúsculas ou grandes e flores delicadas, as espécies aquáticas embelezam bacias, lagos e espelhos d’água

 (Foto: Evelyn Müller)
(Foto: Evelyn Müller)

Pintura na água

A micro paisagem à altura das telas do pintor Claude Monet não deixa dúvidas das intenções do paisagista Leo Laniado para o espelho d’água de 11,25x 4,30 m neste jardim em Cotia, São Paulo. “A ideia era quebrar a monotonia da água com os elementos naturais que refletem nela. escolhemos os resedás para refletirem como uma pintura”, diz o paisagista.
As árvores foram contidas por blocos de alvenaria forrados de grama-amendoim. Além dessa vegetação, a paisagista Marlene Laniado criou uma ambientação com plantas aquáticas. São elas: aguapé, alface-d’água, sombrinha-chinesa, ninfeia-azul e pontedéria. O espelho d’água está próximo à piscina para aumentar a sensação de frescor, que fica completa como painel de pedra moledo e a chapa de aço corten, por onde desliza suavemente a água em circulação.
O visual de lago foi inten­cional: os resedás parecem emergir da água, mas estão plantados diretamente na terra, contida pela caixa de alvenaria. A ilusão é causada pela forração de grama­-amendoim. O espelho d'água tem seixos como forração de oxigenar a  (Foto: Evelyn Müller)O visual de lago foi intencional: os resedás parecem emergir da água, mas estão plantados diretamente na terra, contida pela caixa de alvenaria. A ilusão é causada pela forração de grama-amendoim. O espelho d’água tem seixos como forração de oxigenar a água. Plantada em vaso, a sombrinha-chinesa atinge até 1,10 m de altura. Na superfície da água, alguns exemplares de alface-d’água. À esq., as folhas da ninfeia-azul somem durante o inverno, mas reaparecem na primavera. Suas flores azuis surgem no mesmo período e permanecem até o verão (Foto: Evelyn Müller)
 No jardim com viburno, murta, íris, fícus e até uma pitangueira, as caixas baixas de aço, da Firgal, chamam a atenção entre os pedriscos. A solução é perfeita para espaços pequenos, como varandas (Foto: Evelyn Müller)No jardim com viburno, murta, íris, fícus e até uma pitangueira, as caixas baixas de aço, da Firgal, chamam a atenção entre os pedriscos. A solução é perfeita para espaços pequenos, como varandas (Foto: Evelyn Müller)
Por ser minúscula, a salvínia é considerada um “feto flutuante”. Serve para áreas de sol e sombra  (Foto: Evelyn Müller)Por ser minúscula, a salvínia é considerada um “feto flutuante”. Serve para áreas de sol e sombra (Foto:
Evelyn Müller)
Caixas verdejantes
A entrada de 12 m² da casa da paisagista Claudia Diamant, no Jardim paulistano, em São Paulo, reserva uma surpresa a quem passa por lá. Em vez de trabalhar apenas com os vasos de fícus e as plantas periféricas viburno, murta e íris, Claudia e sua sócia, Marina Domingues, usaram caixas baixas de aço para as minúsculas salvínias.
A plantinha que se reproduz com rapidez, preencheu as duas caixas de 2 e 2,50 m de comprimento, que apenas foram encaixadas entre os pedriscos.embora possa ser usada em áreas com sol ou sombra, sob a última condição, a espécie fica mais rala.
No jardim com viburno, murta, íris, fícus e até uma pitangueira, as caixas baixas de aço, da Firgal, chamam a atenção entre os pedriscos. A solução é perfeita para espaços pequenos, como varandas.
Os aguapés enchem a primeira bacia (à frente). Na segunda, a mistura de espécies aquáticas inclui as alfaces- -d’água, as ninfeias e o lótus (Foto: Evelyn Müller)Os aguapés enchem a primeira bacia (à frente). Na segunda, a mistura de espécies aquáticas inclui as alfaces- -d’água, as ninfeias e o lótus (Foto: Evelyn Müller)
Flores de baciada
As bacias de cerâmica ganharam lugar cativo neste jardim, no bairro da Saúde, em São Paulo, desde que a paisagista Ana Claudia e Costta Pinto montou esta versão florida – e aquática – para a moradora.
Espécies flutuantes, como aguapés, alfaces-d’água, ninfeias e um lótus em vaso, enchem os dois tachos e permanecem floridas entre a primavera e o verão. Como as plantas aquáticas se reproduzem com rapidez, a retirada de alguns exemplares é sempre válida para não tumultuar as bacias.
Rosada ou branca, a flor grande e perfumada do lótus surge principalmente no verão. Seu fruto perfurado com sementes com estiveis é muito usado em arranjos florais (Foto: Evelyn Müller)Rosada ou branca, a flor grande e perfumada do lótus surge principalmente no verão. Seu fruto perfurado com sementes com estiveis é muito usado em arranjos florais. Curiosidade: as flores da ninfeia-vermelha são brancas quando se abrem, mas depois tornam-se rosadas. O aguapé tem raízes que são usadas pelos peixes para o depósito de ovos (Foto: Evelyn Müller)
Fibra de coco e réguas de pínus tratado na parede, bambu na pérgola e pedras moledo dentro d'água. Os elementos naturais circundam o espelho e dão leveza à área avistada da sala de jantar. As cavalinhas fazem o papel de guarda-corpo  (Foto: Evelyn Müller)Fibra de coco e réguas de pínus tratado na parede, bambu na pérgola e pedras moledo dentro d’água. Os elementos naturais circundam o espelho e dão leveza à área avistada da sala de jantar. As cavalinhas fazem o papel de guarda-corpo (Foto: Evelyn Müller)
Os vasos de cimento funcionam como bicas d’água. Conforme transbordam, criam uma cascata natural que respinga nos minipapiros (Foto: Evelyn Müller)Os vasos de cimento funcionam como
bicas d’água. Conforme transbordam,
criam uma cascata natural que respinga
nos mini papiros (Foto: Evelyn Müller)
Plantas como proteção
Com 6 m de comprimento, o espelho d’água visto da sala de jantar nesta casa em Campinas, São Paulo, ganhou um cuidado a mais, previsto pelo paisagista Alexandre Furcolin e a coordenadora de projetos Marina Gwyther. As cavalinhas, acomodadas dentro d’água, vazam pelo deque de pínus tratado e servem de proteção para indicar a presença do espelho d’água, com profundidade que varia de 5 0a 70cm.
A mudança de altura serve para dispor melhor os três vasos de cimento com mini papiros, eles pontuam o painel vertical de fibra de coco com réguas de pínus, que abrigavas os cerâmicos com orquídeas. Uma estrutura de alumínio sustenta a pérgola de bambu, com aberturas. A luz que vaza pela pérgola incide nos exemplares de ninfeia-azul. Além deles, as pedras moledo forram o espelho e embelezam ainda mais a água.
 As espécies aquáticas estão em vasos a apenas 40 cm de profundidade da superfície da água. Ao fundo, abica, da Paglioto, faz a circulação da água. Na extremidade oposta, pinguins da coleção particular de Elkis  (Foto: Evelyn Müller)As espécies aquáticas estão em vasos a
apenas 40 cm de profundidade da superfície
da água. Ao fundo, a bica, da Paglioto, faz
a circulação da água. Na extremidade
oposta, pinguins da coleção particular
de Elkis (Foto: Evelyn Müller)
Desgaste natural
A vista para o espelho d’água faz toda a diferença no escritório do paisagista Gilberto Elkis, na vila madalena, em São Paulo.incrustado em um local com pouca incidência de sol, o espelho de tijolos de demolição foi naturalmente tomado por musgos. Uma bica mantém a água em circulação frequentemente
O espelho com 4,20 m de extensão ganhou exemplares de lótus e pontedéria, que se revezam na função de colorir a água com suas flores rosa e lilás. Para esconder o muro, Gilberto investiu em um painel vertical, forrado de samambaias, mini costelas-de-adão, filodendros, bromélias, entre outras plantas de sombra.

 

As espécies aquáticas estão em vasos a apenas 40 cm de profundidade da superfície da água. Ao fundo, abica, da Paglioto, faz a circulação da água. Na extremidade oposta, pinguins da coleção particular de Elkis (Foto: Evelyn Müller)As espécies aquáticas estão em vasos a apenas 40 cm de profundidade da superfície da água. Ao fundo, a bica, da Paglioto, faz a circulação da água. Na extremidade oposta, pinguins da coleção particular de Elkis.Arroxeadas e em forma de espiga, as flores da pontedéia são formadas entre a primavera e o verão. É adequada para maciços e bordaduras à beira de lagos (Foto: Evelyn Müller)Link

ÁGUA

Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.


Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). 

E como sabemos, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema.

No dia 22 de março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a “Declaração Universal dos Direitos da Água” (leia abaixo). Este texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.

Mas como devemos comemorar esta importante data? Não só neste dia, mas também nos outros 364 dias do ano, precisamos tomar atitudes em nosso dia-a-dia que colaborem para a preservação e economia deste bem natural. Sugestões não faltam: não jogar lixo nos rios e lagos; economizar água nas atividades cotidianas (banho, escovação de dentes, lavagem de louças etc); reutilizar a água em diversas situações; respeitar as regiões de mananciais e divulgar idéias ecológicas para amigos, parentes e outras pessoas.

Declaração Universal dos Direitos da Água
 
Art. 1º – A água faz parte do patrimônio do planeta.Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.

Art. 2º – A água é a seiva do nosso planeta.Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem.

Art. 3º – Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.

Art. 4º – O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.

Art. 5º – A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.

Art. 6º – A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.

Art. 7º – A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.

Art. 8º – A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.

Art. 9º – A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.

Art. 10º – O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra. 

Frases sobre o Dia Mundial da Água:

– Água é vida. Vamos usar com inteligência para que ela nunca falte.

– O futuro de nosso planeta depende da forma com que usamos a água hoje.

– Todo dia é dia de água, pois ela está presente em tudo e em todos.

– O Dia Mundial da Água não é só para pensar, mas principalmente para agir: vamos usar este recurso natural com sabedoria para que ele nunca acabe.

– Sem a água não haveria vida na Terra! Pense nisso neste Dia Mundial da Água.  

Fonte: SuaPesquisa Link

Água no JARDIM !

Lagoa varanda!

Lagoa varanda!

Fonte do jardim
Link

almofada respingo quintal!  Não se manter.  Pegada pequena.  Mais barato do que uma piscina.  Mais seguro do que uma piscina.  Impressionante.  Eu quero.
Link

tea-pot-fountain
Link

Construir um oásis mini jardim da água
Uma fonte gramado (como mostrado acima)  Link
O 46 centímetros de diâmetro por 61 centímetros de profundidade pote tinha um buraco de drenagem que eu enchi com putter do canalizador. Então eu inseri um forro da lagoa e cortado para caber. (Alternativamente, pulverizar o interior com um aferidor de cerâmica para evitar o pote de absorção de água.) Instale a bomba, em seguida, cubra-o com um pote de plástico com um corte de entalhe para acomodar cabo da bomba de alimentação. Qualquer pote plástico irá fazer, desde que é a altura certa e não há um furo de drenagem para enfiar o tubo de bomba através. Puxar o cabo através e armar-lo sobre o lado do recipiente. Em seguida, coloque o menor pote de cerâmica (que também foi selada ou revestidas) em cima do pote de plástico e puxe o tubo através de seu furo de drenagem. Neste ponto, você deve verificar o fluxo de água. A maioria das bombas tem uma alavanca que controla a rapidez com que a água se move, e você não será capaz de alcançá-lo uma vez que o pote superior está instalado. O tipo de fixação da bomba (o qual controla o fluxo na extremidade da tubagem) também irá afetar a velocidade da água. Movimento através de uma ligação em linha reta é mais rápido do que um movimento através de buracos menores. Encha o pote menor à sua borda superior com seixos ou mármores. Isto irá esconder hardware da bomba e manter o anexo no lugar.

três vasos--tanques d1.jpg



três vasos--tanques d2.jpg

Construir um oásis mini jardim da água  Build a mini water garden oasis

PLANTAS AQUÁTICAS,como plantar !

água-lírio-step1.jpg1. optar por recipientes redondos ou quadrados feitos de plantas da lagoa.Metade encher de terra de jardim comum ou uma mistura especialmente para regar plantas. Remover lírio água do pote, raízes delicadamente espalhar e definir firmemente no solo. Faça coroa certeza fica bem acima da superfície. 2. solo água e deixe repousar. Adicione mais terra sobre as raízes e ao redor da coroa, que deve permanecer acima da superfície.Água e deixa-se repousar novamente, em seguida, verificar coroa ainda está no nível certo. Empurre três comprimidos de fertilizantes, formulados para plantas da lagoa, cinco centímetros de profundidade no solo. (Posteriormente, Thomson recomenda adubação uma vez por mês com um comprimido para cada quatro litros de solo.) 3.Para ajudar a segurar o solo no local e proteger coroa lírio d’água, adicionar uma camada superior de cascalho da ervilha pelo menos 2,5 centímetros de espessura. 4. cuidadosamente cesto inferior na lagoa. Dependendo da variedade, os lírios de água resistentes precisa de 15 a 60 centímetros de água sobre suas coroas; tropicais preferem uma profundidade de 15 a 40 centímetros. Definir recipiente em tijolos ou parser na parte inferior da lagoa para alcançar a altura certa.

água-lírio-step2.jpg

água-lírio-step3.jpg

água-lírio-step4.jpg

Água no PAISAGISMO

Parede de Água de metais incorporando hum Padrão Impressionante de Dois Metais Diferentes linda ...
Parede de água de metal incorporando um padrão impressionante de dois metais diferentes linda …
Amanda Patton
Amanda Patton
Recursos de Água los espiral
Recurso de água em espiral
.
Fonte urna
usando hum Espelho parágrafo estender característica da Água e Jardim.  adorável.
usando um espelho para estender característica da água e jardim. adorável.
Pátio de El Alcazar, Sevilla, España
Pátio de El Alcazar, Sevilla, España
piano watterfall planter
reflecting pool
wine bottle water feature
Pinterest