Uma flor que apaixona

São encontradas pelo menos cem espécies de tulipas, com feições e cores múltiplas
Tulipas
Embora muitos acreditem que as tulipas procedam da Holanda, elas provêm da Turquia e foram transportadas para o território holandês aproximadamente em 1560, quando Conrad von Gesner, estudioso de botânica, as classificou. A escolha do nome se baseou no termo ‘tulipan’, que tem o significado de ‘turbante‘, nome justificado pela morfologia da flor, que é similar a um tipo de touca usada pelos orientais. Há quem diga, também, que a tulipa veio da China, e posteriormente se disseminou pelas regiões do Cáucaso e da Pérsia.
Há uma estória interessante na Holanda. Dizem que havia uma flor que era incapaz de se fixar em qualquer lugar. Das montanhas no Casaquistão, o bulbo da flor vagueou pela Pérsia, China e Turquia. Até que um cientista holandês levou o bulbo consigo para um pequeno país Europeu. Lá a flor apreciou o clima e o solo, e os habitantes se apaixonaram imediatamente pela flor, tornando-a logo um símbolo nacional. Parece uma estória de conto de fadas, mas essa é a verdadeira estória da tulipa.
Realmente, a tulipa é uma flor que apaixona. Ela pertence à família das liliáceas e dela são encontradas pelo menos cem espécies, com feições e colorações múltiplas. Hoje, além de inúmeros espécimes, existem incalculáveis híbridos em variadas cores e tonalidades.
No Brasil, a cultura desta planta se deve ao empenho do produtor Klaas Schoenmaker, proprietário da fazenda Terra Viva, localizada em Holambra.
Anualmente o cultivo delas se amplia.
Este é realmente um feito, pois este vegetal não se amolda muito bem às temperaturas do Brasil. Mas pode-se estimular a tulipa a produzir pelo menos mais uma leva de flores ao se recriar, no solo brasileiro, o clima de seu recanto natural.
Além disso, a planta deve ser preservada em um canto luminoso e no qual a temperatura permaneça amena, pois vento e sol intenso são adversários das tulipas. Algumas pessoas chegam a depositar gelo sobre a terra contida no vaso, pelo menos duas vezes ao dia, para reduzir o calor.
Uma tulipa dura aproximadamente dez dias. O ideal é que, após a perda do frescor das flores, elas sejam aparadas junto com a folhagem.Link

Nancy Thame

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s